Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
 
  • ROBERVAL DOS SANTOS  - PSDB
  • Vereadores
    LEGISLATURA 2017-2020
    Presidente Atual
    ROBERVAL DOS SANTOS
Data: 04/10/2017 Hora: 00:00:00
Projeto de escola municipal cria aquecedor solar de garrafa pet
Webline Sistemas

Ideia de professora, direção e alunos foi apresentada ao prefeito João Coloniezi com intermediação da vereadora Mari de Sá

 

A vereadora Mari de Sá (PMDB) acompanhou a diretora Jacqueline Flauzino Pizzi, a professora Josimara Amâncio e alunos do 5º ano da Escola Municipal Maria Inês Rodrigues de Mello em uma reunião com o prefeito João Toledo Coloniezi (PMDB).

O motivo foi solicitar apoio para um projeto de aquecimento de água com uso de garrafas pet, desenvolvido pela professora e estudantes dentro do Consórcio para Proteção Ambiental do Rio Tibagi (Copati).

Coloniezi encampou a ideia e autorizou ao Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto), através do coordenador Miguel Gardini, que também estava presente à reunião, que execute o projeto, em caráter experimental, na própria escola.

Como é de conhecimento de todos, o uso de fontes alternativas de energia tem se tornado uma grande crescente em todo o mundo. Diversos modelos e sistemas têm sido desenvolvidos, ampliando o leque de opções para os consumidores.

Dentre as opções de uso de energia limpa, a energia solar tem se destacado das demais, apresentando inúmeros benefícios como infinidade e pureza. Todavia, a energia solar ainda apresenta um sério impedimento: seu alto custo, principalmente para os padrões brasileiros.

Frente a esse problema, uma ótima solução foi desenvolvida: O sistema de aquecedor solar com garrafas pet. O sistema com garrafas pet e os tradicionais sistemas de aquecimento solar possuem, em suma, o mesmo modo de funcionamento: transferindo para a água o calor captado a partir dos raios solares.

A grande diferença entre os dois sistemas está, obviamente, nos materiais utilizados e, consequentemente, nos custos.

Para o aquecimento solar com pet já existe uma técnica desenvolvida de aplicação, que, resumidamente, realizará a seguinte fluência: a água passará por tubos, que, por sua vez, passarão por dentro de garrafas pet interligadas, posicionadas em uma estrutura construída com caixas de leite.

Para uma maior conversão dos raios solares, as garrafas pet são pintadas na cor preta fosca. Essa pintura auxiliará também o aumento gradativo do calor, visto que a estrutura com caixas de leite irá refletir raios solares nas garrafas pintadas.

“Este projeto é muito interessante. A professora, direção e alunos da escola municipal estão de parabéns. Com este aquecedor solar de baixo custo, feito com materiais reciclados, confeccionado a partir de garrafas pet do tipo cristal (transparentes) e caixas de leite Tetra Pack pós-consumo, possibilita que, mesmo famílias de baixa renda que não possuem recursos para a implantação do sistema convencional, possam usufruir do projeto ganhando também em qualidade de vida. Além das famílias que vivem no meio rural onde quase sempre o difícil acesso impossibilita a chegada de energia elétrica”, exemplificou a vereadora Mari de Sá.

Um estudo de alunos do curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) constatou que o aquecimento deste tipo de aquecedor feito de materiais reciclados se comparado a aquecedores solares comerciais do tipo termoplástico com reservatório de 22 litros, é praticamente o mesmo. Ou seja, uma vez que a eficiência do sistema alternativo é praticamente a mesma do sistema convencional o primeiro torna-se mais vantajoso na medida em que implica em custos quase zero para implantação e manutenção.

O coletor solar feito de materiais reciclados tem uma vida útil de aproximadamente 20 anos.

 

MARI AQUECEDOR GARRAFA PET (5).jpgMARI AQUECEDOR GARRAFA PET (9).jpgMARI AQUECEDOR GARRAFA PET (15).jpgMARI AQUECEDOR GARRAFA PET (22).jpg

Enviar esta notícia para um amigo

Reportar erro

Data: 04-10-2017 00:00:00